Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015
não tem um caminho novo.  quando a gente vai, não imagina como fica o estômago de quem por ventura ficou. ontem eu estava bem no meio da palma da tua mão, mas hoje... hoje eu tenho só a ideia do teu cheiro grudada no nariz pra não me deixa esquecer que ontem eu até podia ver a tua sombra no espaço sobrando na cama, todo dia de manhã e ler na primeira pagina de qualquer coisa que a gente não tem um fim. ontem. hoje não tem mais. nem teu cheiro, nem a tua camisa no chão, nem nossos pés se trombando pela casa e dançando por estarem tão perto... diferente de ontem, quando você largou tudo no dia pra ficar. só pra ficar. hoje, meu amor ainda é teu. amanhã também. mas é ainda mais meu. diferente de ontem quando eu larguei tudo no dia pra ficar, só pra ficar.  hoje eu to largando você e pegando tudo no dia pra ir. só pra ir.
nas chegadas
se o amor fosse uma cidade
na chegada teria o teu nome
como uma variação de
"seja bem vindo"
e não haveria preocupação
com a partida
porque é difícil querer ir embora
de você

e se a camisa que veste essa saudade
tivesse uma estampa
seria como aquela tua, do led zeppelin
e a tua ausência cantaria "oh... all my love to you now"
todo meu amor por você
agora
porque não é concebível que
exista outro amanhã pra a gente acontecer
se não hoje

sobretudo, se eu tivesse um
ato de coragem
este seria me arrastar nas horas
e bater na tua porta
completamente nua destes fatos que
amedrontam
pra encostar nos teus cílios e
arrombar as portas dos teus sentidos
só porque é quente
e esse frio que faz aqui fora
eu já cansei de tentar fugir.